O Prazer de Deus no Bem do Seu Povo

De Livros e Sermões Bíblicos

Recursos relacionados
Mais Por John Piper
Índice de Autores
Mais Sobre The Grace of God
Índice de Tópicos
Recurso da Semana
Todas as semanas nós enviamos um novo recurso de autores como John Piper, R.C. Sproul, Mark Dever, e Charles Spurgeon. Inscreva-se aqui—Grátis. RSS.

Sobre esta tradução
English: The Pleasure of God in the Good of His People

© Desiring God

Partilhar este
Nossa Missão
Esta tradução é publicada pelo Traduções do Evangelho, um ministério que existe on-line para pregar o Evangelho através de livros e artigos disponíveis gratuitamente para todas as nações e línguas.

Saber mais (English).
Como podes Ajudar
Se você fala Inglês bem, você pode ser voluntário conosco como tradutor.

Saber mais (English).

Por John Piper Sobre The Grace of God
Uma Parte da série The Pleasures of God

Tradução por Milson Santana de Freitas

Review Você pode nos ajudar a melhorar por rever essa tradução para a precisão. Saber mais (English).


Sofonias 3:17

“O Senhor, o seu Deus,
está em seu meio,
poderoso para salvar.
Ele se regozijará em você;
com o seu amor a renovará,
ele se regozijará em você
com brados de alegria.”

Cenário Para o Livro de Sofonias.

Conforme Sofonias 1:1, “Palavra do Senhor que veio a Sofonias, filho de Cuchi…, durante o reinado de Josias, filho de Amon, rei de Judá”. Josias começou reinar em Judá aproximadamente 80 anos depois que o reino do norte de Israel foi devastado pelos invasores assírios. Durante esses 80 anos o reino do sul de Judá, ainda não tinha aprendido a lição do reino do norte, e afundou-se mais e mais no pecado e na rebelião contra a lei de Deus.

No ano 18 do reinado de Josias, o sacerdote Hilquias encontrou no templo uma cópia do livro da lei que havia sido ignorado durante décadas. Quando ele a leu para o rei, Josias se quebrantou. Ele se humilhou diante do Senhor e rasgou as suas vestes e chorou (2 Reis 22:19).

Nos próximos 13 anos, Josias liderou uma incrível reforma em Judá baseada na lei de Deus. Ele renovou a aliança entre Deus e seu povo (2 Reis 23:3). Ele tirou para fora do templo todos os vasos de Baal e Asera, e os queimaram nos campos de Cedrom (23:4). Ele depôs os sacerdotes idólatras (23:5). Derrubou as casas dos sodomitas (23:7). Tirou os cavalos que os reis de Judá tinham dedicados ao sol (23:11). E ele também restituiu a Páscoa, que havia sido ignorada desde os dias dos juízes (23:22).

Estes foram os dias de Sofonias, de acordo com 1:1. Assim, quando lemos este pequeno livro, podemos imaginá-lo como parte da chamada para a reforma que Josias estava perseguindo. Sem dúvida, o profeta e o rei se uniram para tentar trazer as pessoas de volta a Deus. Como Sofonias deveria pregar? Que tipo de pregação que Deus inspira o profeta quando o seu povo está com necessidade de avivamento e de reforma?

Uma Advertência Sobre a Ira Vinda do Senhor.

Todo o capítulo 1 é uma advertência para Jerusalém e uma predição do dia da ira vinda do Senhor. Versículos 2-4:

Destruirei todas as coisas na face da terra, palavra do Senhor. Destruirei tanto os homens quanto os animais; destruirei as aves do céu e os peixes do mar, e os que causam tropeço junto com os ímpios. Farei isso quando eu ceifar o homem da face da terra”, declara o Senhor. Estenderei a mão contra Judá e contra todos os habitantes de Jerusalém. Eliminarei deste lugar o remanescente de Baal, os nomes dos ministros idólatras e dos sacerdotes.

Por que é Tão Ardente a Ira de Deus?

Uma Chamada ao Arrependimento.

Então, no capítulo 2, a primeira advertência é seguida por uma chamada ardente ao arrependimento. Ainda pode haver esperança, pelo menos para aqueles que se arrependem. Versos 1-3:

Reúna-se e ajunte-se, nação sem pudor, antes que chegue o tempo determinado e aquele dia passe como a palha, antes que venham sobre voces a ira impetuosa do senhor, antes que o dia da ira do Senhor os alcance. Busquem o Senhor, todos vocês, os humildes da terra, vocês que fazem o que ele ordena. Busquem a justiça, busquem a humildade; talvez vocês tenham abrigo no dia da ira do Senhor. Mesmo que os humildes da terra não podem desviar a ira final de Deus, eles podem, pelo menos, talvez, serem protegidos do terrível dia do Senhor.

Uma Advertência às Nações Vizinhas

Então, em 2:4-15, Sofonias profere juízo divino e advertências, não apenas sobre Judá e Jerusalém, mas também sobre as nações ao redor do mundo.

O julgamento é vindo sobre todo mundo ao nosso redor. E o versículo 10 é o que melhor sintetiza a melhor razão: É isso que eles receberão como recompensa pelo seu orgulho, por insultarem e redicularizarem o povo do Senhor dos Exércitos. O motivo principal de um juízo universal é orgulho humano.

A Última Acusação Contra Jerusalém. Mas para que o povo de Jerusalém não exultem sobre o julgamento das nações, Sofonias volta para eles em 3:1-8, e dá uma última acusação a Jerusalém. Versos 1-2:

“Ai da cidade rebelde, impura e opressora! Não ouve a ninguém, E não aceita correção. Não confia no Senhor, não se aproxima do seu Deus.

Uma Mudança Surpreendente.

Logo quando termina a acusação, como ocorre com frequência com os profetas, vem uma mudança incrível. Ao lado da destruição de sua ira, Deus coloca o poder recriador do seu amor. Parece que, apesar da manifestação universal de sua ira, Deus vai fazer dois atos de misericórdia descrito em 3:9-20.

1. A Promessa de Um Despertar Mundial.

Ele vai provocar um despertamento mundial para que as pessoas de todas as nações voltem-se para ele. Vesículo 9:

“Então purificarei os lábios dos povos para que todos eles invoquem o nome do Senhor e o sirvam de comun acordo.”

Em outras palavras, Deus não se contenta simplesmente em destruir as nações do mundo. Como pode ser isso? Olha como o verso 8 termina e como começa o verso 9:

                                      8 “Decidi ajuntar as nações,
                           reunir os reinos 
                     e derramar a minha ira sobre eles,
                           toda a minha impetuosa
                                   indignação.
                     O mundo inteiro será consumido
                           pelo fogo da minha zeloza ira.”

“Então purificarei os lábios dos

                   povos,
para que todos eles invoquem
       o nome do Senhor
e o sirvam de comum acordo”.


Como Deus vai derramar sua indignação sobre as nações, e consumir a terra com fogo do céu , e naquele tempo purificar as nações para que invoquem o nome do Senhor e lhe sirva? Este é um retrato do julgamento em todo mundo, e do mundo todo que se volta para adorar a Deus. Sofonias não nos dá o detalhe. Talvez ele retrata o julgamento de Deus como uma extensa série de catástrofes ao longo de um período de tempo que vem para o clímax com a destruição final de todos os incrédulos.

E talvez durante este tempos dos juízos de Deus, também funciona entre as nações da terra, para purificar um povo para si mesmo através da pregação do evangelho, para que ele realmente tenha um povo para si, de todas as tribos, línguas e nações (Ap. 5.9).

Não importa como Deus pretende fazer essas duas coisas, devemos afirmar como o profeta afirma: “Deus fará que todos os povos possam invocar seu nome e servi-lo de todas as nações do mundo.” E assim ele própio vai mudá-los e dar-lhes um coração e lábios para invocar o seu mone. Este é o primeiro ato de misericórdia descrito em 3:9-20; um despertar mundial, com pessoas de todas as nações clamando e servindo ao Senhor.

2. Promessa de Avivamento e Purificação. O outro ato de misericórdia nestes versos é o avivamento e a purificação do seu povo Israel. Ele vai remover o orgulho e deixar apenas um povo que é humilde e sincero, que confia no nome do Senhor. Versos 11-12:

                                         11 “ Naquele dia 
                               vocês não serão envergonhados
                               pelos seus atos de rebelião,
                           porque retirarei desta cidade
                               os que regozijam no seu 
                                       orgulho.
                          Nunca mais vocês serão altivos
                                no meu santo monte.

12 Mas deixarei no meio da cidade

         os mansos e humildes,
 que refugiarão no nome do
        Senhor.”
                                                                                                                             

Isto quer dizer que Deus não só criará para si mesmo um povo de todas as nações do mundo, mas também purificará e limpará o seu povo Israel (cf. João 11:52). Ele eliminará o orgulho, e ele vai guardar para si mesmo um povo humilde e sincero. Assim, os julgamentos e a ira anunciados no capítulo 1 e 2, não são as últimas palavras da profecia de Sofonias. A última palavra é a promessa de uma dedicação a nível mundial a Deus, e um avivamento da fé verdadeira encontrada entre seu povo Israel.

Breve Análise em Efésios (3:4-6). Agora, antes de analizar a grandiosa promessa de Deus no versículo 17, vamos olhar por um momento Efésios 3:4-6. O motivo é que o Antigo Testamento não dá uma resposta clara de como se relaciona os convertidos das nações com os convertidos de Israel. Como você e eu estamos como gentil convertidos ao Deus de Israel ? Seríamos como os últimos a chegar. Compartilharemos plenamente as bençãos de Israel ?

Paulo diz que é um mistério, o qual significa que não é revelado a primeira vista. Qual é a resposta dada em Efésios 3:4-6 ?

4 “Ao lerem isso, vocês poderão entender minha compreessão do mistério de Cristo.

                          5  Esse mistério não foi dado a conhecer aos homens doutras gerações, mas              
               agora foi revelado pelo Espírito aos santos apóstolos e profetas de  Deus,   

6 significando que, mediante o evangelho, os gentios são co-herdeiros com Israel, membros do mesmo corpo, e

     co-participantes da promessa em Cristo Jesus.”


A resposta, é que através do evangelho, nós os gentios viemos a crer em Jesus. E através de Jesus, nos tornamos membros com pleno direitos do povo de Deus: co-herdeiros com os crentes judeus das promessas de Deus. A Promessa Grandiosa de Sofonias 3:17.

Então agora vamos voltar a Sofonias. E quando lemos 3:17, sabemos que não só se refere aos crentes judeus, mas também a todos os gentios que se tornaram herdeiros da promessa pela fé em Cristo, da descendência em Abraão.

               “O Senhor, o seu  Deus, está em seu meio,
poderoso para salvar.
Ele se regozijará em você; com alegria,
com o seu amor a renovará [literalmente: ficar em silêncio no seu amor]
ele se regozijará em você
com brados de alegria.”

A partir desse versículo incrível que tirei o título desta mensagem pra esta manhã: “ O Prazer de Deus Para o Bem do seu Povo”. Deus não nos faz o bem por algum tipo de restrição ou coerção. Ele é livre! E na sua liberdade ele transborda de alegria de fazer o bem. Ele se regozija em você com brados de alegria.

O que aconteceria se Deus cantasse? Você pode imaginar como seria se você pudesse ouvir Deus cantar? Lembre-se que foi apenas a palavra falada que trouxe o universo à existência. O que aconteceria se Deus levantasse sua voz não somente para falar, mas para cantar? Talvez um novo céu e uma nova terra fosse criado. Deus disse algo quase que só para esse efeito em Isaías 65:17-18:

                 “Eis que crio novos céus e nova terra…Eu crio Jerusalém para regozijo,
e seu povo para alegria”.

Quando Deus falou no princípio, os céus e a terra foram criados; talvez no final, novos céus e nova terra será criado quando Deus cantar e se rozijar com brados de alegia, sobre o seu povo. Quando penso na voz de Deus cantando, ouço o ruido das águas das Cataratas do Niágara junto com o fluir das águas de um córrego da montanha coberto de musgo. Eu ouço a explosão do Monte Santa Helena misturado com o roronar de um gato. Eu ouço o poder de um furacão na costa leste e do sopro quase inaudível de uma noite de neve na floresta.

Ouço o rugido inimaginável do sol com 1,384.000 kilômetros de espessura, e 1,3 milhões de vezes maior do que a terra, e nada mais do que fogo, 1,000.000 de graus centígrados, no sistema de arrefecimento da superfície da coroa. Mas ouço este estrondo inimaginável, com o terno e cálido crepitar da lenha na larera da sala, numa acolhedora noite de inverno.

E quando eu ouço este canto, fico atônito, estupefato, sem fala porque está cantando pra mim. Ele se alegra em fazer o bem, com todo seu coração, com toda sua alma (cf. Jer.32:41) !

Você Pode Sentir a Maravilha Que é Isto? Você pode sentir esta maravilha hoje ? Que Deus se regozija por você com brados de alegria.

Sou Muito Culpado. “Não” você diz, “ Não posso, porque sou muito culpado para que Deus possa regozijar-se por mim.” Mas você não vai acreditar no que diz o versículo 15:

“O Senhor tirou os julgamentos contra você !”

Você não pode, então, sinta a maravilha, que o Senhor se regozija sobre você, com cânticos de alegria, hoje.

Estou Cercado Por Inimigos.

“Nâo”, você diz: “ Eu não posso porque estou cercado de inimigos e obstáculos me cerca por todos os lados.” Mas você não vai acreditar o que diz o versículo 17:

“O Senhor é poderoso para salvar” e o versículo 19 :
“Nessa época agirei contra todos os que oprimiram vocês”, e versículo 15:
“Ele fez retroceder os seus  inimigos”?

Você não pode, então, sinta a maravilha que o Senhor se regozija sobre você com brados de alegria?

Sinto Deus Muito Longe de Mim. “Não”, você diz: “Ainda não posso porque ele é um grande Deus, santo e eu sinto que ele está longe de mim.” Mas você não vai acreditar o que diz o versículo 15: “O rei de Israel, o Senhor, está no meio de vós.”

O versículo 17 diz:
“O Senhor, teu Deus, está no meio de vós”? 

Ele não está longe de você. Você não pode, então, sinta a maravilha que o Senhor se regozija sobre você com cânticos de júbilo?

Sou Escravizado Pela Vergonha.

Ainda que você diz: “Não, porque sou escravisado pela vergonha. Tenho sido tantas vezes menosprezados pelos meus pais (cf. 2:8-10). Fui ridicularizado, ameaçado, manipulado e caluniado. Dentro deste casulo de vergonha, mesmos os brados de alegria do Senhor, parecem que são fracos, longe e indecifráveis.”

Mas volto a perguntar, você não vai acreditar na promessa do versículo 19:

“Salvarei os aleijados e ajuntarei os dispersos.
Darei a eles louvor e honra em todas as terras”.

Você não pode, então, sinta a maravilha que o Senhor se regozija sobre você com brados de alegria.

“Como é Possível a Alegria de Deus em Seu próprio Nome se Aplicar a Mim?”

Você não pode, então, sinta a maravilha que o Senhor se regozija sobre você com brados de alegria. E agora você diz: “Quase que eu posso ir e sentir esta maravilha indisível que exalta a Deus sobre mim, mesmo com brados de alegria.”

Mas ainda há um obstáculo.

Você disse que Deus ama a sua própria glória, acima de tudo. Você disse que Deus tem prazer em seu própio nome.

Como, então, estou eu a imaginar que ele deveria estar interessado em mim? Como a alegria que Deus tem em seu próprio nome se aplica a mim?

Se for este o seu último obstáculo, em seguida prepare-se para cantar! Para a resposta, é dada claramente no versículo 12. Se você soubesse o que Deus se deleita em seu nome acima de todas as coisas, e se você quisesse ser formado nesta alegria e ser uma parte do prazer de Deus em si mesmo, onde você iria? Onde você buscaria refúgio? O versículo 12 dá a resposta: O Senhor diz: “Mas deixarei no meio de vocês os mansos e humildes que se refugiarão no nome do Senhor.” Aqui está a conexão entre o deleite de Deus em seu nome e seu prazer em você. Quando você se refugiar em seu nome, ele se regozijará sobre você com brados de alegria. Se você procurar a sua própria glória entre os homens, realmente você tem a sua própria recompensa na terra. Se você conta com a sua própria justiça, na verdade você tem a sua recompensa na terra.

Mas se você se humilhar e buscar a glória de Deus acima de todas as coisas, e se você esconder o seu nome, em nome de Deus, e se você vestir-se com a justiça de seu Filho, então o vosso Pai celeste que ama seu nome acima de todas as coisa, irá recompensá-lo além do que se imagina e se regozijará sobre você com brados de alegria.

Então, ponha de lado hoje, todo o orgulho e vanglória. Refugie-se no nome de Deus! Deposite sua esperança na justiça de Cristo, e não na sua própria. E deixe-se despertar para as maravilhas que o Senhor, Rei dos reis se alegre em você com alegria e se regozije com brados de alegria.

- ( Para um estudo mais aprofundado ver Miquéias 7:18, Salmo 35:27, 149:4, Jeremias 32:37-42, Deuteronômio 30:9, Isaías 62:5; 65:19 )