O que lembraremos no céu?

De Livros e Sermões Bíblicos

Recursos relacionados
Mais Por John Piper
Índice de Autores
Mais Sobre Glorification (Resurrection of the Body)
Índice de Tópicos
Recurso da Semana
Todas as semanas nós enviamos um novo recurso de autores como John Piper, R.C. Sproul, Mark Dever, e Charles Spurgeon. Inscreva-se aqui—Grátis. RSS.

Sobre esta tradução
English: What will we remember in heaven?

© Desiring God

Partilhar este
Nossa Missão
Esta tradução é publicada pelo Traduções do Evangelho, um ministério que existe on-line para pregar o Evangelho através de livros e artigos disponíveis gratuitamente para todas as nações e línguas.

Saber mais (English).
Como podes Ajudar
Se você fala Inglês bem, você pode ser voluntário conosco como tradutor.

Saber mais (English).

Por John Piper Sobre Glorification (Resurrection of the Body)
Uma Parte da série Ask Pastor John

Tradução por Rodrigo Albuquerque

Review Você pode nos ajudar a melhorar por rever essa tradução para a precisão. Saber mais (English).


Um amigo escreveu-me e fez uma pergunta acerca de Isaías 65:17, que diz (na versão ACF), “Porque, eis que eu crio novos céus e nova terra; e não haverá mais lembrança das coisas passadas, nem mais se recordarão.” Ele perguntou, “Você acha que este versículo significa que, quando formos para o céu, não haverá absolutamente nenhuma lembrança dos Céus e Terra passados? Se sim, você acha que também significaria que todas as lembranças desta vida desaparecerão?”

Aqui está o que eu respondi:

Não, este verso não significa que não haverá nenhuma lembrança no céu ou na era vindoura.

Duas razões:

1) Perceba o paralelo entre "coisas passadas" no versículo 17 e "angústias passadas" no versículo 16. O versículo 16 diz: “Assim que aquele que se bendisser na terra, se bendirá no Deus da verdade; e aquele que jurar na terra, jurará pelo Deus da verdade; porque já estão esquecidas as angústias passadas, e estão escondidas dos meus olhos.” O estrito paralelo entre “angústias passadas” no versículo 16 e “coisas passadas” no versículo 17 leva-me a pensar que “coisas passadas” não significa todas as coisas, mas coisas que nos angustiariam se delas nos lembrássemos. E não nos angustiaremos na era vindoura. “E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas.” (Apocalipse 21:4).

2) O livro de Apocalipse diz que no céu entoaremos a canção do Cordeiro e de Moisés (Apocalipse 15:3), que é uma canção sobre história passada. Logo, se vamos cantar sobre os grandes feitos de Deus na história, não podemos esquecê-los.

Mas aqui está uma dificuldade. A cruxificação do Cordeiro foi uma das angústias do mundo. Foi horrível. Portanto parece estar no grupo das coisas que não deveriam ser mais lembradas - foi tão doloroso.

Então a minha conclusão é: O que esqueceremos e o que lembraremos não é uma simples classificação de bom ou ruim. Ao invés disso, esqueceremos e lembraremos das coisas de acordo com o que maximizará o nosso deleite em Deus. Se lembrar de algo intensifica a nossa adoração, nós nos lembraremos. Se atrapalha a nossa adoração, nos esqueceremos.

Como analogia, considere isto. Em Filipenses 3:13-14, Paulo diz: “mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.” Então Paulo parece recomendar “esquecer” o passado. Mas em Efésios 2:11-12 ele diz: “Lembrai-vos de que vós noutro tempo éreis gentios na carne... estáveis naquele tempo separados de Cristo.”

Desse modo, quando eu tento discernir o que deveria ser lembrado e o que deveria ser esquecido, eu respondo: Lembre-se de qualquer coisa que aprofunde o seu amor para com Cristo e o seu zelo em obedecer, e esqueça de tudo o que paralizaria o seu dejeso de segui-Lo com alegria.