Adoração em Tempos de Guerra

De Livros e Sermões Bíblicos

Recursos relacionados
Mais Por John Piper
Índice de Autores
Mais Sobre Admiração
Índice de Tópicos
Recurso da Semana
Todas as semanas nós enviamos um novo recurso de autores como John Piper, R.C. Sproul, Mark Dever, e Charles Spurgeon. Inscreva-se aqui—Grátis. RSS.

Sobre esta tradução
English: Worship in War-time

© Desiring God

Partilhar este
Nossa Missão
Esta tradução é publicada pelo Traduções do Evangelho, um ministério que existe on-line para pregar o Evangelho através de livros e artigos disponíveis gratuitamente para todas as nações e línguas.

Saber mais (English).
Como podes Ajudar
Se você fala Inglês bem, você pode ser voluntário conosco como tradutor.

Saber mais (English).

Por John Piper Sobre Admiração
Uma Parte da série Taste & See

Tradução por Desiring God

Se a adoração fosse opcional, Paulo e Silas não estariam cantando com as costas cheias de sangue no calabouço de Filipos à meia-noite.

Imagine essa cena incrível. Paulo e Silas tinham feito uma invasão estratégica na Macedônia. Era território inimigo, governado pelo "deus desse mundo" (2 Coríntios 4:4). Era uma "fortaleza" de Satanás (2 Coríntios 10:4), e dentro dela, muitas vítimas eram mantidas cativas para fazerem a vontade de Satanás (2 Timóteo 2:26). Em uma visão, Paulo viu um desses cativos clamando, "Venha até a Macedônia e nos ajude!" (Atos 16:9).

Estrategicamente, Paulo e seu "esquadrão de libertação" navegaram pelo Mar Egeu, evitaram o menor posto avançado inimigo de Neápolis e se dirigiram diretamente ao coração do bastião chefe de Filipos (Atos 16:11-12). A viagem de Trôade para o coração da Macedônia levou pouco mais de três dias.

Havia uma jovem escrava de Satanás ali que tinha um espírito de adivinhação. Seus senhores ganhavam dinheiro às custas de suas habilidades satânicas. Mas quando o "esquadrão de libertação" a viu, uma breve batalha com os poderes das trevas (Efésios 6:12) libertou a jovem e fez com que os poderes de Satanás batessem em retirada.

Mas o contra-ataque veio rapidamente. Paulo e Silas foram arrastados diante dos magistrados. Eles arrancaram suas roupas e bateram neles com varas. (Isso aconteceria três vezes na vida de Paulo, 2 Coríntios 11:25). Essas varas rasgavam a pele, causavam contusões e vergões, e às vezes quebravam costelas. Então, Paulo e Silas foram colocados na parte mais profunda da prisão—sem dúvida úmida, fria e infestada de ratos. E para aumentar a segurança e miséria, seus pés foram presos em troncos (Atos 16:24).

Ali eles estavam a tarde toda e noite adentro, em território estrangeiro, sem advogados na câmara da cidade, com as costas expostas a infecção, rodeados pela escuridão, tremendo de frio, incapazes de ajustar sua posição, a centenas de milhas de distância de casa e sua invasão na Macedônia mal havia começado. Qual é a resposta deles?

"Por volta da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam louvores a Deus" (Atos 16:25). Adoração em tempos de guerra! Que cena! Escute-os! Eu ouço Paulo orando, "Senhor Soberano, que fez os céus e a terra e o mar e tudo o que neles há, os Gentios estão furiosos, mas em vão. O Senhor reina."..."Silas, comece. Vamos cantar a canção de Isaías, aquela que nós memorizamos no barco:"

Quão amáveis sobre as montanhas são os pés daquele,
Que trás as boas novas, boas novas,
Anunciando paz, proclamando novas de felicidade
O nosso Deus reina. Nosso Deus reina.
O nosso Deus reina. Nosso Deus reina.
Nosso Deus reina!
Nosso Deus reina!

"E de repente, sobreveio tamanho terremoto, que sacudiu os alicerces da prisão."

Se nós queremos o poder de Deus, adoremos com todo nosso coração e com toda nossa alma e com toda nossa força. Deus está entronizado sobre os louvores do seu povo.

Ansioso para me encontrar com você e cantar,

Pastor John